Exames laboratoriais são fundamentais para diagnóstico precoce da Síndrome dos Ovários Policísticos

 

 

  

No conjunto de exames necessários para diagnosticar a SOP estão os testes de hormônios femininos.

 

O Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher (28 de maio) foi definido no IV Encontro Internacional Mulher e Saúde em 1984, na Holanda, durante o Tribunal Internacional de Denúncia e Violação dos Direitos Reprodutivos. A data destaca a importância das mulheres conhecerem e participarem de ações em prol da luta pela saúde feminina, como o direito a um diagnóstico rápido e de qualidade.

Os exames laboratoriais são fundamentais para o rápido diagnóstico de diversas doenças femininas, como a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), causa mais frequente de infertilidade em mulheres e que atinge cerca de 10% das mulheres em idade reprodutiva.

Os sintomas mais comuns da SOP incluem ciclos menstruais irregulares, menor frequência de ovulação e dificuldade para engravidar. A Síndrome também colabora para o aparecimento de outros problemas de saúde, como doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e obesidade.

Apesar de não ter cura, a SOP pode ter seus sintomas controlados. Para tanto, o diagnóstico é fundamental para excluir a possibilidade de outras doenças e detectar a Síndrome precocemente.

No conjunto de exames necessários para diagnosticar a SOP estão os testes de hormônios femininos como, por exemplo, FSH, LH, Progesterona, Estradiol, Prolactina. “São testes utilizados para avaliar a fertilidade e os distúrbios hormonais, como a própria síndrome do ovário policístico”, explica Daiana Godoi, gerente de produtos da Vyttra Diagnósticos.

A paciente com suspeita de SOP faz uma bateria de exames para excluir outras causas da suspensão da ovulação e de infertilidade, além de outros distúrbios hormonais. A ultrassonografia é usada para examinar os ovários e identificar cistos. Se for confirmado o diagnóstico de síndrome do ovário policístico, então são realizados outros exames, como perfil lipídico e glicemia, para avaliar possíveis complicações, como diabetes e doença cardiovascular.

Entre os exames laboratoriais que podem ser feitos para diagnosticar o SOP e doenças decorrentes da Síndrome estão inclusos testes como: FSH, LH, Testosterona, Androstenediona, 17-OHP, HGH, DHEA-S, entre outros.

Diagnóstico precoce de hemofilia é fundamental para evitar complicações

 

 

 

Analisadores de coagulação aperfeiçoam carga de trabalho na execução de perfis de exames laboratoriais em menor tempo possível e garantem a máxima precisão nos resultados.

O Dia Mundial da Hemofilia (17 de abril) foi criado em 1989 para celebrar o nascimento do fundador da Federação Mundial de Hemofilia, Frank Schnabel. Nascido em 1926 e portador de hemofilia A grave, Schnabel dedicou sua vida para melhorar a qualidade de vida dos hemofílicos por meio do incentivo ao desenvolvimento científico.

As hemofilias são doenças hemorrágicas resultantes da deficiência de fatores da coagulação. O Brasil tem a terceira maior população mundial de pacientes, com 12 mil brasileiros portadores de hemofilia - cerca de dez mil do tipo A e dois mil do tipo B. De acordo com o Ministério da Saúde, aproximadamente 70 novos casos de hemofilia grave são registrados por ano no Brasil. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a hemofilia A é o tipo mais comum da doença, representando de 85% a 90% dos casos mundiais.

Diagnosticar precocemente a doença é fundamental para evitar suas complicações, pois sem a reposição do fator deficiente, as crianças estarão sujeitas a complicações que poderão evoluir para sequelas graves e até mesmo óbito.

“Um exame de tempo de tromboplastina parcial ativada (ou TTPA) prolongado com tempo de protrombina (ou TP) e tempo de coagulação normal deve ser investigado”, destaca Monalisa Ramos, gerente de produtos da Vyttra Diagnóstico. Ela explica que os analisadores de coagulação Q Next e Q Smart foram projetados para realizar automaticamente todas as etapas dos exames de hemostasia. “A solução otimiza a carga de trabalho envolvida na execução de perfis de exames laboratoriais em menor tempo possível e garante a máxima precisão nos resultados”, finaliza.

Os analisadores de coagulação Q Smart e Q Next, da Grifols, distribuídos com exclusividade no Brasil pela Vyttra Diagnósticos, são precisos tanto para exames de rotina de coagulação como para a determinação de atividades de fatores e provas especiais por meio de métodos coagulométrico, cromogênico e imunoturbidimétrico.

Produtos Inovadores

Sempre um passo à frente, a Vyttra Diagnósticos busca oferecer soluções que ampliem o acesso à saúde de alta qualidade. Nossa linha de Imunologia com hormônios raros e painéis de autoimunidade é a mais completa do mercado brasileiro, seguida por Hematologia, Biologia Molecular, Microbiologia com seus coradores de fabricação própria e Bioquímica. Equipamentos inovadores, que proporcionam resultados seguros e eficientes. Tudo ao seu alcance. Consulte um de nossos representantes e surpreenda-se!